You are currently browsing the monthly archive for outubro 2008.

Achei por acaso, deixo uma pequena amostra aqui, e quem quiser ler na integra, entra no site.. vale a pena o clique…

Podem criar teorias sobre o meu comportamente, o medo, os traumas, o que quer que seja, eu não quero pertencer a ninguém. Amor é angústia, é sufocamento e perdição. E há algo de repugnante no desespero da paixão. Quando o ser-humano perde a razão, quando berra e implora ao mesmo tempo, quando chora e agride, ama e odeia. Todos já viram a violência e desespero de quem ama demais, e a margem que separa o amor e o ódio não passa de uma linha no chão do oceano, longe dos olhos e da razão. A capacidade de compreensão não existe dentro do amor. Amor é vil, envenena, como uma droga, mas te vicia, num vício descontrolado que te faz desejar a overdose, que acabe logo com você para ter fim toda essa angústia.

“A vida não passa de um instante, mas basta este instante para empreendermos coisas eternas.”
Ernest Bersot

As Aparências Enganam

Num orfanato, igual a tantos outros que enxameiam por toda parte, havia uma pobre órfã, de oito anos de idade.
Era uma criança lamentavelmente sem encantos, de maneiras desagradáveis, evitada pelas outras, e francamente malquista pelos professores.
Por essa razão, a pobrezinha vivia no maior isolamento. Ninguém para brincar, ninguém para conversar…
Sem carinho, sem afeto, sem esperança… Sua única companheira era a solidão.
O diretor do orfanato aguardava ansioso uma desculpa legítima para livrar-se dela.
E um dia apresentou-se, aparentemente, uma boa desculpa. A companheira de quarto da menina informou que ela estava mantendo correspondência com alguém de fora do orfanato, o que era terminantemente proibido.
– Agora mesmo, disse a informante, ela escondeu um papel numa árvore.
O diretor e seu assistente mal puderam esconder a satisfação que a denúncia lhes causara.
Vamos tirar isso a limpo agora mesmo, disse o superior.
E, somando-se ao assistente, pediu para que a testemunha do delito os acompanhasse a fim de lhes mostrar a prova do crime.
Dirigiram-se os três, a passos rápidos, em direção à árvore na qual estava colocada a mensagem.
De fato, lá estava um papel delicadamente colocado entre os ramos.
O diretor desdobrou, ansioso, o bilhete, esperando encontrar ali a prova de que necessitava para livrar-se daquela criança tão desagradável aos seus olhos.
Todavia, para seu desapontamento e remorso, no pedaço de papel um tanto amassado, pôde ler a seguinte mensagem:
“A qualquer pessoa que encontrar este papel: eu gosto de você.”
Os três investigadores ficaram tão decepcionados quanto surpresos com o que leram.
Decepcionados porque perderam a oportunidade de livrar-se da menina indesejável, e surpresos porque perceberam que ela era menos má do que eles próprios.
………………………………..
Quantos de nós costumamos julgar as pessoas pelas aparências, embora saibamos que estas são enganadoras.
E o pior é que, se as aparências não nos agradam, marcamos a pessoa e nos prevenimos contra ela e suas atitudes.
Uma antiga e sábia oração dos índios Siuox, roga a Deus o auxílio para nunca julgar o próximo antes de ter andado sete dias com as suas sandálias.
Isto quer dizer que, antes de criticar, julgar e condenar uma pessoa, devemos nos colocar no seu lugar e entender os seus sentimentos mais profundos.
Aqueles que talvez ela queira esconder de si mesma, para proteger-se dos sofrimentos que a sua lembrança lhe causaria.

História extraída da revista Seleções do Rider’s Digest, de maio/1945.

Após o fim das peripécias do Pequeno Principe, estarei colocando uma Ode em homenagem a OScar Wilde. Esta, é a Ode onde ele cita uma célebre frase, que me faz pensar muito em meu modo de vida, e em como sou.

“A gente sempre destrói aquilo que mais ama
em campo aberto, ou numa emboscada;
alguns com a leveza do carinho
outros com a dureza da palavra;
os covardes destroem com um beijo,
os valentes, destroem com a espada.”


Tradução de Paulo Vizioli

I

O casaco escarlate não usou, pois tinha
De sangue e vinho o jeito;
E sangue e vinho em suas mãos havia quando
Prisioneiro foi feito,
Deitado junto à mulher morta que ele amava
E matara em seu leito.

Ao caminhar em meio aos Julgadores, roupa
Cinza e gasta vestia;
Tinha um boné de críquete, e seu passo lépido
E alegre parecia;
Mas nunca em minha vida vi alguém olhar
Tão angustiado o dia.

Eu nunca vi alguém na vida que tivesse
Tanta Angústia no olhar,
Ao contemplar a tenda azul que os prisioneiros
De céu usam chamar,
E as nuvens à deriva, que iam com as velas
Cor de prata pelo ar.

Num pavilhão ao lado, andei com outras almas
Também a padecer,
Imaginando se seu erro fora grave
Ou um erro qualquer,
Quando alguém sussurrou baixinho atrás de mim:
– O homem tem que pender.?

Cristo! As próprias paredes da prisão eu vi
Girando a meu redor
E o céu sobre a cabeça transformou-se em elmo
De um aço abrasador;
E, embora eu fosse alma a sofrer, já nem sequer
Sentia a minha dor.

Sabia qual o pensamento perseguido
Que lhe estugava o andar,
E por que demonstrava, ao ver radiante o dia,
Tanta angústia no olhar;
O homem matara a coisa amada, e ora devia
Com a morte pagar.

Apesar disso – escutem bem – todos os homens
Matam a coisa amada;
Com galanteio alguns o fazem, enquanto outros
Com face amargurada;
Os covardes o fazem com um beijo,
Os bravos, com a espada!

Um assassina o seu amor na juventude,
Outro, quando ancião;
Com as mãos da Luxúria este estrangula, aquele
Empresta do Ouro a mão;
Os mais gentis usam a faca, porque frios
Os mortos logo estão.

Este ama pouco tempo, aquele ama demais;
Há comprar, e há vender;
Uns fazem o ato em pranto, enquanto que um suspiro
Outros não dão sequer.
Todo homem mata a coisa amada! – Nem por isso
Todo homem vai morrer.

Não vai morrer um dia a morte de vergonha
Num escuro traspasso;
Nem há de Ter um pano a lhe cobrir o rosto,
E no pescoço um laço;
Nem através do chão vai atirar os pés
Para o vazio do espaço.

Não vai sentar-se, noite e dia no silêncio,
Com uma guarda tesa
Que há de vigiá-lo quando tenta o pranto
E quando tenta a reza;
Sempre a vigiá-lo, para que não roube
Da prisão sua presa.

Não vai na aurora despertar com vultos hórridos
Cruzando o seu umbral:
O tiritante Capelão todo de branco,
O Xerife espectral,
E o Diretor, de negro luzidio, e a cara
Do Juízo Final.

Nem vai vestir, com pressa comovente, as roupas
De almas condenadas,
Enquanto um médico boçal exulta, e anota
Suas torções crispadas,
Manuseando o relógio com um tique-taque
De horríveis marteladas.

Nem, a arear-lhe a garganta, vai sentir aflito
A sede que antecede
O carrasco, enluvado como um jardineiro,
Que vem junto à parede
E ata-o com três correias, para que a garganta
Não sinta mais a sede.

Nem curvará a cabeça para ouvir o Ofício
Fúnebre ser lido;
Nem, enquanto o terror lhe diz dentro do peito
Não ter ele morrido,
Com seu caixão há de cruzar, ao se mover
Para o estrado temido.

Nem através de um teto vítreo vai fitar
O espaço azul… lá atrás;
Nem com lábios de argila um dia vai rezar
Para implorar a paz;
Nem, por fim, vai sentir em sua face trêmula
O beijo de Caifás.

Em homenagem a visita de nossos amigos espaciais, os quais ainda não tive a honra de conhecer e ver pessoalmente, deixo uma pequena homenagem com este hiráriante episodio de Chaves. Espero que gostem, matar a saudade é sempre muito bom…



E lá vem o disco voador….

PS.: Não acredito nem desacredito na existencia de seres alienigenas em outros planetas, mas realmente, ver um seria algo que valeria a pena, e se já estão entre nós, mandando mensagens de que virão passear por aqui, porque não se manifestam logo.. Agora, com esta onda toda desde o dia 14/08, qualquer pedaço de meteoro que atravesse a atmosfera, e que seja filmado por qualquer amador que não saiba definir o objeto, será um novo video na net de mais um OVNI entrando na terra.. Espero realmente que eles existam, e que estejam cuidando de suas vidas, enquanto nós aqui, podemos cuidar tranquilamente da nossa..

E agora, certamente, já se vão seis anos… Jamais contara essa história. Os camaradas ficaram contentes de ver-me são e salvo. Eu estava triste, mas dizia: É o cansaço…

Agora já me consolei um pouco. Mas não de todo. Sei que ele voltou ao seu planeta; pois, ao raiar do dia, não lhe encontrei o corpo. Não era um corpo tão pesado assim… E gosto, à noite, de escutar as estrelas. Quinhentos milhões de guizos…

Mas eis que sucede uma coisa extraordinária. Na mordaça que desenhei para o principezinho, esqueci de juntar a correia! Não poderá jamais prendê-la ao carneiro. E eu pergunto então: “Que se terá passado no planeta? Pode bem ser que o carneiro tenha comido a flor…”

Ora eu penso: “Certamente que não! O principezinho encerra a flor todas as noites na redoma de vidro e vigia bem o carneiro…” Então, eu me sinto feliz. E todas as estrelas riem docemente.

Ora eu digo: “Uma vez ou outra a gente se distrai e basta isto! Esqueceu uma noite a redoma de vidro ou o carneiro saiu de mansinho, sem que fosse notado…” Então os guizos se transformam todos em lágrimas!…

Eis aí um mistério bem grande. Para vocês, que amam também o principezinho, como para mim, todo o universo muda de sentido, se num lugar, que não sabemos onde, um carneiro, que não conhecemos, comeu ou não uma rosa…

Olhem o céu. Perguntem: Terá ou não terá o carneiro comido a flor? E verão como tudo fica diferente…

E nenhuma pessoa grande jamais compreenderá que isso tenha tanta importância.

Esta é, para mim, a mais bela paisagem do mundo, e também a mais triste. É a mesma da página precedente. Mas desenhei-a de novo para mostrá-la bem. Foi aqui que o principezinho apareceu na terra, e desapareceu depois.

Olhem atentamente esta paisagem para que estejam certos de reconhecê-la, se viajarem um dia na África, através do deserto. E se acontecer passarem por ali, eu lhes suplico que não tenham pressa e que esperem um pouco bem debaixo da estrela! Se então um menino vem ao encontro de vocês, se ele ri, se tem cabelos de ouro, se não responde quando interrogam, adivinharão quem é. Então, por favor, não me deixem tão triste: escrevam-me depressa que ele voltou…

Estou sozinho na net hoje, escutando “gangster paradise” no ultimo….. estou como se estivesse em transe.. acompanhando a batida da musica… e com o pensamento longe… nem tenho ideia do que estou escrevendo.. meus olhos estão apenas passeando pelo teclado, sem eu ter a minima noção do que estão fazendo… mas por mais besteira que saia, não irei apagar nem editar este post, ele saira em sua mais pura forma… e será intocavel….
Se tiverem a oportunidade, coloquem esta musica no som maximo, e deixe com que o coral de fundo penetre em sua mente… faça coisas que você nunca teria coragem de fazer…..
Deixe com que a musica tome conta de tudo, e deixe sua mente livre para voar……
Estou totalmente zen…… estou querendo voltar a fazer ioga….. preciso reeducar meu corpo……

“Viva a vida, como se cada dia fosse o ultimo, e faça tudo o que desejares, pois amanhã pode ser tarde de mais…”

“Só se arrependa, daquilo que você tenha feito, e tenha dado errado… não vale a pena se arrepender por algo que não se fez, apenas os fracos fazem isso, os fortes vão, enfrentam, e se cairem… apenas se levantam para prosseguir…”

November Rain

Classico dos classicos……..

Vou viajar um pouco… se eu voltar, escreverei…. senão, somente amanhã….

Existem cinco estágios em uma carreira:

O primeiro estágio é aquele em que o funcionário precisa usar crachá, porque quase ninguém na empresa sabe o nome dele.
No segundo estágio, o funcionário começa a ficar conhecido dentro da empresa e seu sobrenome passa a ser o nome do departamento em que trabalha. Por exemplo, Heitor de Contas a Pagar.
No terceiro estágio, o funcionário passa a ser conhecido fora da empresa e o nome da empresa se transforma em sobrenome: Heitor do Banco Tal.
No quarto estágio, é acrescentado um título hierárquico ao nome dele: Heitor, Diretor do Banco Tal.
Finalmente, no quinto estágio, vem a distinção definitiva. Pessoas que mal conhecem o Heitor passam a se referir a ele como ‘o meu amigo Heitor, Diretor do Banco Tal’.
Esse é o momento em que uma pessoa se torna, mesmo contra sua vontade, um ‘amigo profissional’.
Existem algumas diferenças entre um amigo que é amigo e um amigo profissional.
Amigos que são amigos trocam sentimentos. Amigos profissionais trocam cartões de visita.
Uma amizade dura para sempre. Uma amizade profissional é uma relação de curto prazo e dura apenas enquanto um estiver sendo útil ao outro.
Amigos de verdade perguntam se podem ajudar. Amigos profissionais solicitam favores.
Amigos de verdade estão no coração. Amigos profissionais estão numa planilha.
É bom ter uma penca de amigos profissionais. É isso que, hoje, chamamos networking, um círculo de relacionamentos puramente profissional. Mas é bom não confundir uma coisa com a outra. Amigos profissionais são necessários. Amigos de verdade, indispensáveis.
Algum dia – e esse dia chega rápido – os únicos amigos com quem poderemos contar serão aqueles poucos que fizemos quando amizade era coisa de amadores.

Max Gehringer


A Montanha

Engenheiros do Hawaii

Composição: Humberto Gessinger

Nem tão longe que eu não possa ver
Nem tão perto que eu possa tocar
Nem tão longe que eu não possa crer que um dia chego lá
Nem tão perto que eu possa acreditar que o dia já chegou

No alto da montanha, num arranha-céu
No alto da montanha, num arranha-céu

Se eu pudesse, ao menos te contar
o que se enxerga lá do alto
Com céu aberto, limpo e claro ou com os olhos fechados
Se eu pudesse, ao menos, te levar comigo lá

Pro alto da montanha, num arranha-céu
Pro alto da montanha, num arranha-céu
Sem final feliz ou infeliz…atores sem papel
No alto da montanha, à toa, ao léu

Nem tão longe, impossível
Nem tampouco lá… já, já

No alto da montanha, num arranha-céu
No alto da montanha, num arranha-céu
Sem final feliz ou infeliz…atores sem papel
No alto da montanha, num arranha-céu

Milhões de pessoas no mundo acham que a vida é ruim, que a felicidade é utopia. A psicologia e a medicina buscam solucionar muitos casos, mas será que o principal obstáculo para conquistá-la não está na própria consciência e na forma de direcionar nossos pensamentos?Cada pessoa tem o livre arbítrio para decidir qual caminho seguir na vida, qual decisão tomar e como agir. Porém, temos de levar em conta que cada decisão tomada é reflexo daquilo que pensamos, daquilo que desejamos e daquilo que buscamos, isto é, a materialização de um desejo e de um pensamento em nossas mentes.

A essência da técnica do Segredo é mobilizar nas pessoas um olhar mais profundo sobre si mesmas, o que elas estão atraindo e que tudo é responsabilidade de cada um, impulsionando-as a buscar ajuda, vislumbrando as mil e uma possibilidades que a vida oferece.

Muitas pessoas levam milhões de anos para assimilar um novo conceito, e precisam ouvi-lo várias vezes e de formas diferentes, até que de repente, elas têm um insight e tudo fica mais claro encontrando em suas mentes uma lógica e uma veracidade. Todo mundo sabe, por exemplo, que escovar os dentes faz bem porque as pessoas ouvem desde pequenas e não questionam o porquê.

Antes de buscar a realização de um sonho, o pensamento deve estar amadurecido e pronto para buscá-lo, ou seja, basta ser sincero quanto ao sonho e desejar profundo e nunca desistir dele, mesmo se não der certo na primeira tentativa, levantar a cabeça e começar a andar novamente.

Baixa auto-estima

Pensamentos ruins, baixa auto-estima e pessimismo atrapalham e obstruem qualquer tipo de progresso na vida, inclusive, podem gerar problemas físicos, como gastrite, pressão alta, estresse e até câncer. No entanto, o sucesso para alcançar aquilo que se aspira não depende somente de bons pensamentos e sonhos a ação é fundamental, sabendo que há risco de ganhar ou, momentaneamente, perder. Logo, lutar sempre, vencer talvez, desistir jamais.

Esta é a chave do Segredo: a pessoa tem que acreditar que é possível, não basta pedir. E acreditar é estar com a mente, corpo e emoções numa mesma freqüência e sintonia vibratória, é sentir com todos os sentidos que o que se pede é realmente viável. Desta forma, todo o ser conecta-se com as infinitas possibilidades do cosmo.

Antes de pedir dinheiro, a pessoa tem de se sentir milionária e vibrar com todo o seu ser nesta sintonia. Às vezes, para acreditar em algo, é preciso ver acontecer, o que não é suficiente. Quantas pessoas progridem financeiramente e depois caem bruscamente, e o que elas dizem é não saber como conseguiram um dia ter progredido, porque a crença que têm de si é de fracassadas.

Crenças

O ser humano é movido a crenças, onde cada um acredita e segue a que acha melhor, às vezes de forma obsessiva. Por isso, a psicologia trabalha arduamente na quebra de crenças e paradigmas, para que a pessoa possa se abrir a novas possibilidades e conhecer outros caminhos de vida.

Uma pessoa que cresce ouvindo seus pais dizerem que ela é o problema, a culpada de tudo, internalizará isto como verdade que na vida adulta perpetuará impedindo-a de conseguir realização pessoal, causando frustrações e desajustes sociais, pois se sentirá sempre sendo o problema, o ruim da história. Como esta pessoa com esta verdade interiorizada, poderá obter algo diferente do que exclusão e rejeição?

A técnica do Segredo não funcionará com ela. Primeiro ela terá que rever esta situação e expurgar estas verdades de si e tomar novas decisões conscientemente. Daí tudo que ela quiser e coincidir com suas novas verdades acontecerá. E não será um pedido, mas uma conseqüência natural do seu novo estado de espírito que automaticamente atrairá novas possibilidades.

A aplicação do Segredo parece fácil, mas não é. Requer esforço, mudança pessoal, tanto em pensamentos quanto em atitudes. Requer uma mudança total de paradigmas sobre a própria imagem.

Outro exemplo bastante típico é quando uma mulher quer atrair um companheiro amável, carinhoso, que a valorize, ao mesmo tempo ela pensa “Eu não mereço uma pessoa assim, ninguém vai gostar de mim”. É claro que ela só vai atrair pessoas que as desvalorizem, porque ela está nesta freqüência de autodesvalorização.

A pessoa traz para si aquilo que pensa e que sente. Tudo que está acontecendo na vida da pessoa é ela que atrai. A questão é como mudar o que pensa e o que sente em relação a algo. E isto nada mais é do que um processo de autoconhecimento que a psicologia vem desenvolvendo há anos

Twittando por ai…

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Musicas – Last.FM

outubro 2008
S T Q Q S S D
« jul   nov »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Links e Selos

Uêba - Os Melhores Links

WWF-Brasil. Cuidando do ambiente onde o bicho vive. O bicho-homem.

Firefox - Download

Quer Divulgar?

Selo Inatitude

Add to Google

BlogBlogs

BlogBlogs
Pingar o BlogBlogs
Adicionar aos Favoritos BlogBlogs

Web Rádio Studio

Visitas

  • 3.240.040 com atitude

In-Atitude Apoia:

Creative Commons License
Inatitude por https://inatitude.wordpress.com esta licença se refere a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.


Creative Commons License
Inatitude por https://inatitude.wordpress.com esta licença se refere a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.



Compras pelo e-mail: prof.medeiros@gmail.com ou através do site:
Adriano Medeiros