Faz um tempo que eu gostaria de escrever algo sobre esse tema mas nunca tinha tempo. Bem, faz uns oito anos montei um negócio próprio apreveitando um belo salão comercial que meu pai havia construído e montei uma locadora de filmes. Como todo o negócio, o começo é sempre uma barra porque temos que fazer investimentos (no caso de locadora de filmes, altíssimo), fazer a abertura de firma da empresa e ainda, tirar algum dinheiro para sustento próprio. Foram muitos os domingos em que eu tinha que trabalhar para dar conta de tantas responsabilidades adquiridas e manter o negócio. Fui vítima de assaltos, períodos de crise onde os filmes encalham nas prateleiras pelos mais diversos motivos, cansaço, calote… mas a locadora sobreviveu a tudo isto.

Com a tecnologia em alta, surgiu o DVD que substituiu o VHS. A promessa era melhorar o mercado de filmes, tendo em vista que poderíamos ter uma material mais resistente (do que aquelas fitas que enroscavam dentro do aparelho), mais barato (heuheuehuehuhe), e com qualidade de imagem muito superior.  Não há dúvidas que o DVD trouxe muitas melhorias. O problema é que com o DVD veio também a internet rápida (oba, agora eu posso baixar o filmes pela internet usando o emule e o kazaa), a mídia virgem e o gravador de DVDs (oba, agora eu posso comercializar os filmes que eu pego na internet ou apenas distribuir para os meus amigos).

Com isso as locadoras começaram a ter um incrível rombo financeiro. Um título que era tão ansiosamente aguardado por muitos e eram até disputados entre os clientes ficou pra trás de modo que antes mesmo do filme sair no cinema, este já era comercializado nos camelôs ou estava disponível na internet. vi muitos colegas que tinham locadoras imensas fechar suas portas pois tinham bem ao lado um inimigo com a qual não há armas para travar uma guerra. Não vou ficar falando de números ou quanto o Brasil perde em empregos com a pirataria (não só em locadoras mas também em cinemas, vendas, edição de arte digital etc…), porque todos já sabem disso. Mas creio que este será um bom lugar para debatermos um assunto na qual existem dois lados. Se por um lado, a pirataria acaba com o emprego de milhares (ou mesmo milhões) de brasileiros, esta é também a maneira como muitos desempregados encontraram para ganhar seu dinheirinho. O problema é que essa forma é considerada crime.

Você deve estar se perguntando, “pra esse cara estar fazendo um Post desses, com certeza a locadorinha dele também deve ter falido”. Bem , ela não faliu e não está nem perto disso, mas foi-se o tempo em que eu poderia pensar em contratar um funcionário ou mais para me ajudar, ou aumentar o emprego de distribuidoras (Disney, Fox, Warner) no setor de vendas, com compras de grandes quantidades de lotes de filmes. Creio inclusive, que minha locadora não faliu justamente por ser uma “locadorinha” (custos menores, folha de pagamento pequena etc.) Mas o que seria se eu tivesse começado o negócio bem antes e minha locadora fosse realmente grande? Hoje eu vivo a expectativa do Blu-Ray e me pergunto, será que já estão pensando em criar um gravador de Blu-Ray?

Anúncios