Um estudante de jornalismo do Afeganistão de 23 anos foi condenado a morte por distribuir material que imprimiu pela internet que violava os dogmas dos Islã.
Sayad Parwez Kambaksh foi condenado a morte por distribuir um texto que humilhava o Islã, disse o responsável pelo julgamento, Fazel Wahab, para agências de notícias internacionais.
Kambaksh discutiu o texto com seu professor e com colegas de classe da Balkh University. Os estudantes protestaram contra o governo.
A família de Kambaksh e um grupo de jornalistas denunciaram o veredicto e afirmaram que o estudante não foi representado por um advogado no julgamento.
O caso agora parte para para a primeira de duas cortes de apelação. Kambaksh, que está preso desde outubro, vai permanecer sob a custódia do governo afegão durante o apelação.
Wahab afirmou que apenas o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, pode perdoar o estudante, pois ele teria confessado que violou os dogmas do Islã.

Anúncios