O planeta seguinte era habitado por um bêbado. Esta visita foi muito curta, mas mergulhou o principezinho numa profunda melancolia.

– Que fazes aí? perguntou ao bêbado, silenciosamente instalado diante de uma coleção de garrafas vazias e uma coleção de garrafas cheias.
– Eu bebo, respondeu o bêbado, com ar lúgubre.
– Por que é que bebes? perguntou-lhe o principezinho.
– Para esquecer, respondeu o beberrão.
– Esquecer o quê? indagou o principezinho, que já começava a sentir pena.
– Esquecer que eu tenho vergonha, confessou o bêbado, baixando a cabeça.
– Vergonha de quê? investigou o principezinho, que desejava socorrê-lo.
– Vergonha de beber! concluiu o beberrão, encerrando-se definitivamente no seu silêncio.

E o principezinho foi-se embora, perplexo.

As pessoas grandes são decididamente muito bizarras, dizia de si para si, durante a viagem.

::: Continua ————

Anúncios