Londres – Empresa elimina a necessidade do código de ativação durante a instalação do Windows XP com o Service Pack 3.
A maneira como os usuários ativam o Windows XP será alterada com o lançamento do Service Pack 3, segundo um documento da Microsoft.

De acordo com o documento, a nova instalação do SP3 terá 30 dias para uso dos usuários, antes que seja requisitada uma chave de ativação, o código de 25 dígitos que prova que a cópia do sistema é legítima.

“Assim como no Windows Server 2003 SP2 e no Windows Vista, os usuários podem agora completar uma instalação do sistema operacional sem fornecer uma chave durante o processo”, descreve o documento. “O sistema irá solicitar uma chave ao usuário como parte do Genuine Advantage”.

Nas edições anteriores do Windows XP, os usuários eram obrigados a digitar o código de ativação durante o processo de instalação. Um erro na digitação, ou mesmo uma chave inválida, poderiam resultar no bloqueio da instalação.

As edições existentes do Windows XP, atualizadas para o SP3, não serão alteradas. Essas cópias, que tiveram seus estágios de ativação anteriormente não irão solicitar a chave novamente.

O blogueiro Ed Bott da ZDNet, criou um CD do SP3 com o release candidate para simular uma instalação. Após o período de 30 dias expirar, o Windows gerou uma janela requerendo a chave de ativação junto da tela de log-on.

“Se você clicar Não, você voltará para a janela de log-on”, afirma Bott. “Se você clicar Sim, será direcionado a um desktop onde a única opção permitida é inserir a chave de ativação. Se o botão Lembre-me Depois for clicado você voltará para a tela de log-on”.

A mudança é a segunda deste mês desde que a Microsoft fez para sua política de ativação de produtos e tecnologia antipirataria, chamada de “Windows Genuine Advantage”.

Em dezembro a Microsoft suavizou sua posição em relação ao Vista e ao Windows Server, prometendo não bloquear recursos e acesso quando uma validação não for bem sucedida.

A Microsoft eliminou o chamado “modo de funcionalidade reduzida” no Vista SP1, que ainda será liberado, e no Windows Server 2008 Release Candidate 1 (RC1). No lugar de bloquear algumas funcionalidades (caso do Vista) ou bloquear a maioria das aplicações (como no Windows Server), as novas edições simplesmente enviarão mais avisos para que os usuários migrem para uma cópia licenciada.

Gregg Keizer, editor do Computerworld, de Framingham.
Anúncios