JORNALISMO BRASILEIRO
Pérolas encontradas em jornais brasileiros

“Depois de algum tempo, a água corrente foi instalada no cemitério para satisfação dos habitantes.”
(Eles deviam estar morrendo de sede, coitados…);

“A nova terapia traz esperanças a todos os que morrem de câncer a cada ano.”
(Viva a ressurreição!);

“Apesar da meteorologia estar em greve, o tempo esfriou ontem intensamente.”
(Não pagaram os direitos do El Niño. Olha no que deu…);

“Os sete artistas compõem um trio de talento.”
(Alguém têm uma calculadora?);

“A vítima foi estrangulada a golpes de facão.”
(Que horrível…);

“Os nossos leitores nos desculparão por esse erro indesculpável.”
(Em hipótese alguma!);

“Há muitos redatores que, para quem veio do nada, são muito fiéis as suas origens.”
(Concordo plenamente);

“No corredor do hospital psiquiátrico, os doentes corriam como loucos.”
(Que coisa impressionante);

“Ela contraiu a doença na época em que ainda estava viva.”
(Que azar, heim?);

“O aumento do desemprego foi de 0% em novembro.”
(Onde vamos parar deste jeito?);

“O presidente de honra é um jovem septuagenário de 81 anos de idade.”
(Acho que houve um erro de idade.);

“Parece que ela foi morta pelo seu assassino.”
(Como será que conseguiram desvendar o mistério?);

“Ferido no joelho, ele perdeu a cabeça.”
(Bom, todo mundo fala que bebê têm cara de joelho.);

“A polícia e a justiça são as duas mãos de um mesmo braço.”
(É, todo mundo já sabia que eram defeituosas…);

“O acidente foi no tristemente célebre Retângulo das Bermudas.”
(Não era Triângulo das Bermudas?);

“Este ano, as festas do 4 de setembro coincidem exatamente com a data de 4 de setembro, que é a data exata, pois o 4 de setembro é um domingo.”
(Um calendário, rápido!);

“O tribunal, após breve deliberação, foi condenado a um mês de prisão.”
(Sem direito a fiança?);

“Quatro hectares de trigo foram queimados. A princípio, trata-se de um incêndio.”
(Achei que fosse uma churrascada.);

“O velho reformado, antes de apertar o pescoço da mulher até a morte, se suicidou.”
(A volta dos mortos vivos.);

“Um surdo-mudo foi morto por um mal entendido.”
(Hum… hum…);

“À chegada da polícia, o cadáver se encontrava rigorosamente imóvel.”
(Tá rindo do que? Nunca assistiu “Um morto muito louco?”)

Anúncios